Arquivo para outubro \06\UTC 2013

Este dança pra cachorro

foto: André Porto/Metro

foto: André Porto/Metro

Uma prática recreativa com cães de estimação ainda não tão popular no Brasil quanto o frisbee, o flyball e o agility vem ganhando adeptos graças à iniciativa de profissionais do centro do pais, como o treinador André Barreto, de São Paulo. É o Dog Dance Freestyle, ou, simplesmente, “dança com cães”. Barreto é um dos pioneiros do esporte por aqui e o primeiro brasileiro a apresentar uma coreografia completa com música ensaiada. “Divulgo o esporte há 13 anos, e até aqui já ensinei cerca de 30 cães a dançarem com seus donos”, conta. Segundo ele, a dança com cães é uma atividade que oferece inúmeras vantagens na relação dos donos com seus pets, não só porque estimula a intimidade e a comunicação entre homem e animal mas também porque forma “cães mais obedientes, alegres e saudáveis”.

Quem prática três sessões de 25 minutos por semana de “dog dance”, seja em movimentos de solo ou de impacto – que incluem saltos – proporciona ao pet um condicionamento cardiorrespiratório equivalente a caminhadas diárias de 40 minutos em ritmo acelerado, sendo que o trabalho muscuIar também é bastante completo. Isto acaba beneficiando animais com problemas nas articulações ou displásicos, já que muitos movimentos são pensados para enrijecer os músculos.

A principio, qualquer animal, não importando sua estatura, peso, força, temperamento ou raça, pode ingressar no treinamento. Alguns cuidados básicos, porém, devem ser levados em conta. Cães com menos de um ano de vida, por exemplo, não devem ser estimulados a saltar ou fazer quaisquer movimentos que coloquem em risco sua formação. “Essa modalidade se adapta facilmente às limitações físicas do animal. Mas o treino só pode ser traçado depois de uma avaliação veterinária para determinar quais movimentos ele estará apto a realizar”, pondera Barreto.

Feita a avaliação, todo cão deve previamente conhecer os comandos básicos: “senta”, “junto”, “deita”, “fica” e “vem”. As coreografias podem chegar até 80 dicas verbais na sequência avançada. “Os cães acabam adquirindo mais confiança e ficam menos ansiosos e agressivos”, afirma o treinador. Para o aprendizado dos movimentos, basta que o bicho saiba seguir um alvo manipulado pelo dono, que pode ser o dedo indicador.

Fotos: André Porto/Metro

Fotos: André Porto/Metro

Fonte: jornal Metro Porto Alegre

Anúncios


%d blogueiros gostam disto: