Arquivo para agosto \28\UTC 2009

Copa Nestlé/Purina

Domingo tem exposição em Canoas, e vai ter siberiano na pista.

Copa Nestlé/purina
GPAKC/2009
GRANDE PORTO ALEGRE KENNEL CLUBE
,
filiado a FCI/CBKC/FECIRS
PROTOCOLO DE HOMOLOGAÇÃO
RSU/IPN-10436 À 10438/09

COPA NESTLÊ / PURINA – GPAKC / 2009:


Data: 30 de agosto de 2009, domingo, a partir das 09h.
Local:Pavilhões da Nestlê / Purina
End: Rua Aurora, 695 – Vila Rosa (segunda entrada a direita após o Bourbon Shopping Canoas).
Cidade: Canoas – RS. – BRASIL

ÁRBITROS CONVIDADOS:
EXPO. INTERNACIONAL – COPA NESTLÊ/PURINAGPAKC – Sr.Juan Alberto Grillo (Colômbia)
EXPO. PANAMERICANA – Sr. Jayme Ganoza (Peru)
EXPO. NACIONAL – Srª.  Patricia Alzina (Argentina)
ÁRBITRO RESERVA: Sr. Marcelo Eduardo F. dos Santos (RS)

Importante: Cães nascidos e/ou residentes com o proprietário em outro país, podem solicitar Título de Campeão Brasileiro com 02 CAC’S. O resultado das gerais será válido para os Rankings: CBKC, DOGSHOW e CÃES E CIA.

ATENÇÃO:
*SOLICITAMOS A TODOS A COLABORAREM COM UM KILO DE ALIMENTO NÃO PERECÍVEL, PARA DOAÇÃO A UMA ENTIDADE SEM FINS LUCRATIVOS.

PREMIAÇÕES:
Melhor Inicial – de 04 a 06 meses – 1º ao 5º lugar
Melhor Filhote – de 06 a 09 meses – 1º ao 5º lugar
Melhor Jovem – de 09 a 15 meses – 1º ao 5º lugar
Melhor da Exposição – 1º ao 5º lugar

Haverá sorteio de vários brindes e UM ANO DE PROPLAN AO VENCEDOR DA COPA NESTLÊ/PURINAGPAKC.

INSCRIÇÕES:
Poderão ser realizadas na sede do GPAKC. (Av.Presidente Vargas, 1426 salas 104/ 105, Centro, Esteio/RS), das 14h às 18h pelo fone/fax. 55 51 3033.1761/55 51 3033.1161 ou pelos sites www.gpakc.com.br, www.dogshow.com.br, conforme tabela abaixo:
Cães até 09 meses…………………. R$ 70,00
A partir de 09 meses e um dia ………R$ 100,00

DADOS BANCÁRIOS:
Banco do Brasil: Agência 0185-6 C/C 34426-5
Grande Porto Alegre Kennel Clube – GPAKC

PROGRAMAÇÃO:
Os horários de entrada nas pistas estarão disponíveis no site http://www.gpakc.com.br a partir do dia 29/08/2009.

ATENÇÃO:
A SUPERINTENDÊNCIA RESERVA-SE AO DIREITO DE ALTERAR A PROGRAMAÇÃO DE HORÁRIO SEMPRE QUE SE FIZER NECESSÁRIO PARA O BOM ANDAMENTO DO EVENTO. HAVERÁ COLOCAÇÃO A DE MICROCHIP  NO LOCAL.

NORMATIZAÇÕES:
1) A comprovação de propriedade se faz com a transferência do cão ou pedigree do mesmo.
2) A ausência do cão inscrito, mesmo que por impedimento, não elimina a obrigatoriedade do pagamento da taxa de inscrição.
3) O proprietário do cão é responsável pelas declarações contidas na inscrição.
4) A constatação de declarações errôneas leva à perda de tudo que o cão ganhou naquele evento, independentemente de outras penalidades que o responsável pela inscrição possa sofrer.
5) Lembramos a Resolução de Nº 143 do Conselho Administrativo da CBKC em seus art. 3º e 6º
Art. 3º: Nenhuma propaganda poderá ser veiculada na área do evento sem a prévia autorização do GPAKC,
Art. 6º: Aquele que infringir o disposto no regulamento incorrerá nas sanções administrativas disciplinares.
6) É proibido aos apresentadores dos cães usarem qualquer vestimenta que identifique os proprietários ou criadores dos mesmos.
7) Solicitamos aos senhores handlers providenciarem auxiliares em número suficiente para que não haja prejuízo ao evento.
8) A voltagem no local é 110/220 v.

HOSPEDAGEM GARIBALDI HOTÉIS (aceita.cães)
Porto Alegre/RS  –  Fones: 51 3224.7333 / 3209.8405.

O local, será liberado para acampamento a partir das 12 horas do dia 29 (sábado) até as 22 horas e no domingo a partir das 05:00 hrs.

Anúncios

Cães precisarão ser vendidos com chip

Fugindo um pouco dos siberianos, mas é diretamente relacionado por tratar-se de um serviço de utilidade pública. Todos sabemos que o índice de abandono dos siberianos é alto, e aparentemente está surgindo um novo boom de siberianos, conversei sobre isso essa semana com a Mariana do canil Bukharin, é uma coisa preocupante pois as pessoas na sua maioria, apenas conhecem a aparência do husky e não seu temperamento. Mas quem sabe com a “chipagem” o abandono não só dos huskies mas de todos os cães seja evitado. Resta saber se vai ser uma lei de verdade ou uma daquelas que existe mas ninguém fiscaliza, ninguém faz nada, é esperar pra ver, mas vale a iniciativa. Saiu na Zero Hora de hoje:

Cães precisarão ser vendidos com chip

Aprovado pela Assembleia, projeto planeja combater abandono de animais

Não maior do que um grão de arroz: é esse o tamanho da nova aposta do Estado para estimular a posse responsável de cachorros e tentar combater o abandono.

Com 44 votos favoráveis e dois contrários, a Assembleia Legislativa aprovou ontem um projeto que obriga a implantação de microchip de identificação eletrônica nos cães vendidos no Rio Grande do Sul. A proposta ainda precisa da sanção da governadora Yeda Crusius para entrar em vigor.

Segundo o projeto, do deputado Carlos Gomes (PPS), o implante precisará guardar informações sobre a moradia e dados do proprietário do mascote, que poderão ser consultados em todo o Estado. Além disso, terá de oferecer informações sobre a raça, a data de nascimento e o registro de vacinação. Conforme o parlamentar, a medida é resultado de discussões com a Sociedade de Amigos dos Animais (Soama), Movimento Gaúcho de Defesa Animal e Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

– O fundamental dessa lei é a conscientização das pessoas – afirmou Gomes.

O deputado ressaltou que o mecanismo também ajudará a devolução do animal quando ele se perde e coibirá o sequestro de cães de raça, que é comum hoje em dia:

– Vão pensar duas vezes antes de roubar os animais.

A medida foi bem aceita pela maioria dos grupos e ONGs que defendem os direitos dos animais no Estado. Para a coordenadora da Protetores Voluntários, Débora Ramos Pinto, a chipagem – como todas as medidas que visam à proteção animal – é ótima.

Os chips começam a se espalhar pelo mundo como medida de controle da população canina para evitar a disseminação de zoonozes. Na Europa, o equipamento é mais popular, mas cidades brasileiras já começam a utilizá-lo. É o caso de Campo Grande e Belo Horizonte. Em Porto Alegre, uma lei municipal determina os implantes em cães de rua que passam pelo Centro de Zoonozes desde o começo do ano.

Tire suas dúvidas
– Quando a lei entrará em vigor?
Após a sanção da governadora Yeda Crusius, que deve ocorrer no máximo em 15 dias, a lei terá um período de três meses para a implementação. Esse tempo será usado para campanhas de conscientização para a chipagem.
– Preciso colocar chip no meu cachorro?
A lei contempla apenas os animais que serão vendidos ou doados após a entrada em vigor. Pessoas que já têm animais, porém, são aconselhadas a fazer a chipagem, pela própria saúde e segurança do cão.
– E os animais doados por pessoas ou ONGs?
Esses casos não são contemplados pela lei. A implantação do chip dependerá do bom senso das partes, que podem negociar a compra do equipamento.
– Como será a fiscalização?
A medida aprovada pela Assembleia não prevê órgão fiscalizador. Segundo o deputado Carlos Gomes, o maior fiscalizador será a própria população que se identifica com o projeto, que exigirá o chip ou denunciará os donos de animais abandonados.
– Haverá punição?
Para quem vender cão sem chip, a medida não prevê punição – as penas serão definidas por cada prefeitura. Se o cachorro abandonado tiver chip, será possível identificar o responsável. Se descoberto, o proprietário poderá ser enquadrado na lei que trata sobre o abandono e os maus-tratos de animais, que pode render prisão de um ano.
– Se desejar fazer o chipagem hoje, como proceder?
Você deve procurar petshops especializadas nisso.
– Quanto custa?
Entre R$ 10 e R$ 15. No caso de animais vendidos em estabelecimentos autorizados, o chip deverá ser incluído no preço.
– Como posso saber se um animal tem chip?
Basta passar por uma petshop e verificar, gratuitamente.
O CHIP
– O dispositivo é um pouco maior do que um grão de arroz. É aplicado no cão por meio de uma injeção no dorso do animal
– Cada chip contará com um número cadastrado em um banco de dados com todas as informações sobre o animal (raça,pelagem, peso, idade aproximada e se tem dono, entre outros dados), que poderá ser lido por equipamentos específicos
– Será possível encontrar cães e localizar mais facilmente os proprietários

Zero Hora 26 de agosto de 2009 | N° 16074

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2631103.xml&template=3898.dwt&edition=12990&section=1003

Lenda sobre a origem do cão

# Segundo os nativos siberianos os cachorros foram criados primeiro que os homens! Ulgan, o criador fez da lama um Deus, chamado Elrik. Elrik moldou de terra e pedras o corpo do homem e da mulher, mas faltava ainda o espírito, enquanto ele saiu a procura desse espírito criou um cão (um Husky Siberiano) para tomar conta dos corpos. Ao chegar de volta, ele notou que o cachorro estava morrendo de frio, e deu-lhe um casaco de pele. Quando Ulgan se deparou com a criação de Elrik ficou indignado, queria destruir tudo, mas um sapo falou a ele: “Se viverem deixe que vivam, e se morrerem deixe que morram.” E para o cão Ulgan falou: “Daqui em diante você sempre protegerá a humanidade e viverá no frio, e se os homens os tratarem mal a culpa será de você mesmo.”

http://www.portaldascuriosidades.com/forum/index.php/topic,42744.0

Lobo polar

Dia desses lendo uma crônica do Luis Fernando Verissimo:  “Fiquei olhando para o cachorro com simpatia, depois que o dono me disse que ele era de uma raça polar que trazia na sua composição genética a disposição para enfrentar ursos, mas tinha que viver trancado no apartamento. Teríamos muito sobre o que conversar, o cachorro e eu. Lhe confessaria a minha suspeita de que eu também não estava cumprindo meu destino biológico na Terra.” (L.F.Verissimo – Zero Hora, 06 de agosto de 2009).

Me lembrei do que um morador de rua disse pra outro quando passei por eles com o Yuri –  “esse é um lobo polar”, confesso que fiquei imaginando que o cão mencionado, poderia ser o Yuri, mas também podemos colocar a grande maioria dos cães de hoje nesta situação, eles tem nas suas composições genéticas diversas aptidões mas vivem “trancados em apartamentos”, o que acaba acarretando muitas vezes distúrbios de comportamento, pois não conseguem gastar a energia, que acaba sendo acumulada e extravasada de alguma maneira, que pode ser agressividade, compulsões e outras.

A melhor maneira de evitar tais distúrbios, seria deixá-los fazer aquilo para que foram criados, mas hoje em dia é difícil, a maioria das atividades para as quais eles foram criados não mais necessitam de cães, não existem, ou são proibidas. A solução é simples, passeios, brincadeiras, exercícios, corridas etc. Coisas fáceis ao alcance de todos.

Quem desejar ler a crônica na íntegra:

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2607944.xml&template=3916.dwt&edition=12860&section=70

Yuri

Buenas, abrindo as postagens, a história do Yuri, nosso primeiro siberiano.

Tudo começou nos idos do ano de 1985, meu avô tinha um pastor alemão chamado Lorde, pois bem, o Lorde comia Bonzo da Purina, e naquela época vinham junto com os pacotes de ração umas revistinhas sobre raças.

E caiu na minha mão a que falava do grupo dos cães de guarda e utilidade (essa divisão não é mais utilizada, bom pelo menos não na FCI). Continuando, na página 13 estava um cão com ares de lobo, foi paixão a primeira vista, e como podem ver pela foto, não era um exemplar de olhos azuis, que é o que costumava atrair as pessoas pra raça. 

Husky Siberiano

Cães de Guarda e Utilidade / Flash Editora LTDA.

A partir daquele dia comecei a pedir de todas as maneiras possíveis pros meus pais um cão daqueles, mas eles negaram, por muito tempo ouvi as histórias dos cães que minha mãe teve quando criança e morreram de forma trágica. Decorei a história da Afra, a dobermann quem meu pai teve pouco antes de eu nascer, e também morreu de maneira trágica, enfim, meus pais tinham os motivos deles.

Mas não desisti, continuei comprando revistas sobre cães pra aprender tudo que pudesse sobre a raça, e cada vez mais me encantava por ela. Minha avó pra compensar me deu uma vira-latinha linda, a Laika (sim o nome é totalmente inspirado na cadela cosmonauta, que era segundo alguns, mestiça de Husky Siberiano). Infelizmente ela ficava no sítio dos meus avós, e não pude ter contato diário com ela, mas era ótimo ir pro sítio brincar com ela. Hoje ela corre no sítio depois da ponte do arco-íris.

Bem, um dia finalmente convenci meus pais a me deixaram ter o meu Husky, eu disse que compraria com o meu dinheiro, peguei à Zero Hora de domingo e fui procurar nos classificados, afinal o dinheiro que eu tinha, não dava pra comprar um exemplar de um canil conceituado, mas isso não importava pra mim. Pois bem, acabei notando que mesmo pros sem pedigree o meu dinheiro não era suficiente, mas pra um mestiço de pastor com husky chegava então eu teria um meio husky pelo menos. Meus pais se compadeceram e disseram que eu poderia comprar um husky “inteiro” que eles completariam o valor.

Começamos uma peregrinação pela cidade, visitando todas as ninhadas anunciadas, na época ao contrário de hoje o husky ainda estava na moda. Mas nenhum agradava, ou eram muito velhos, ou apenas fêmeas (eu queria um macho), e assim fomos, até o último anúncio, que por um acaso do destino, ficava no mesmo bairro onde nós morávamos. Eles tinham um macho vermelho (chamado Chocolate) e duas fêmeas cinza (as quais não me recordo os nomes), ainda restavam da ninhada 3 filhotes, 2 machos vermelhos e uma fêmea cinza. Bom, não foi preciso escolher com qual dos dois machinhos ficaríamos, ele nos escolheu, saindo por entre as grades vindo na nossa direção.

Foi assim que o Yuri entrou em nossas vidas, a mais de catorze anos e continua ainda hoje.

Yuri (2-3 anos)

Yuri (2-3 anos) / acervo pessoal



%d blogueiros gostam disto: